Diabetes – Como prevenir?

Diabetes – Como prevenir?

O Brasil é o 5° país no mundo com pessoas com diabetes. De acordo com o Atlas da Internacional Diabetes Federation (IDF), 1 em cada 9 pessoas (idade de 20 a 79 anos) no Brasil é diagnosticada com a doença e a perspectiva é que haja um aumento de 51% nos diagnósticos até 2045. Outro dado relevante é que 1 em cada 3 pessoas não possui diagnóstico de diabetes e corre o risco de sofrer com complicações sérias de alto custo.

Os principais fatores de risco para desenvolver diabetes envolvem genética, sobrepeso (principalmente acúmulo de gordura na região abdominal), doenças crônicas associadas como hipertensão, colesterol alto ou alterações nos triglicérides, síndrome do ovário policístico, entre outros. Certamente a mudança no estilo de vida é capaz de prevenir o diabetes, incluindo bons hábitos alimentares, praticar atividade física regularmente e excluir ou abandonar o hábito de fumar.

Na alimentação, muitas pessoas acreditam que seguir uma dieta com restrição de carboidratos como a low carb ou cetogênica é uma boa estratégia para prevenir o diabetes. Por outro lado, diversos estudos hoje comprovam que uma alimentação estritamente vegetariana/vegana com um consumo adequado de carboidratos é a uma ótima alternativa. Um estudo que acompanhou 300 mil pessoas desde os anos 1970 foi publicado no American Journal of Clinical Nutrition realizado pela escola de saúde pública de Harvard trouxe resultados muito interessantes: O consumo diário de 50 gramas de carne processada (como bacon, mortadela, salsicha, salame, presunto) aumenta em 51% o risco de diabetes tipo 2; já o consumo de 100 gramas de carne vermelha aumenta o risco para 19%. Atualmente o brasileiro consome em média 250 gramas de carne diariamente, isso representa mais que o dobro da recomendação da OMS que é de no máximo 70 gramas ao dia.

Então o diabetes pode ser provocado pelo excesso do consumo de carne? Uma das explicações possíveis é que o ferro-heme presente na carne provoque danos às células beta do pâncreas, as quais produzem a insulina. Atualmente, há fortes evidências que o excesso de gordura saturada (também presente na carne e alimentos de origem animal) está associado ao prejuízo nas ações da insulina e aumento do risco para desenvolver diabetes. A gordura saturada na dieta deve representar menos de 10% do total de calorias diárias, ou seja, uma quantidade pequena que é facilmente exacerbada na dieta de pessoas que consomem alimentos de origem animal, visto que o reino vegetal é mais rico em gorduras mono e poliinsaturadas.

Para prevenir o diabetes não é necessário cortar ou restringir carboidratos. Os estudos nos mostram que uma alimentação vegana com até 75% de carboidratos é capaz de controlar a glicemia e até favorecer a perda de peso mesmo em indivíduos diabéticos. Deve-se evitar é claro, a frequência no consumo fontes inadequadas de carboidratos como açúcares de adição (xaropes, maltodextrina, maltose, sacarose, etc.), refrigerantes, farinhas refinadas, biscoitos recheados e industrializados. Do contrário, priorize uma alimentação plant based rica em cereais integrais, fibras, frutas, verduras e legumes. De acordo com a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), as pessoas devem consumir no mínimo 400 gramas de frutas ou hortaliças por dia em cinco ou mais dias da semana. Atualmente, apenas 23% da população consome o recomendado, ou seja, com estes dados podemos concluir que a população está ficando doente por estar com sobrepeso e obesidade, e ainda, desnutrida pela carência de nutrientes e excesso de calorias vazias.

Sendo assim, priorize sua saúde tendo uma alimentação plant based evitando ou excluindo os alimentos de origem animal da dieta. Cuide de você e da sua família, procure um profissional para orientações individualizadas.

Natalia Peres
Meu CRN é 10 7729
Instagram – @nataliaperesnutri
https://www.instagram.com/nataliaperesnutri/

Poste um comentário

Chame no WhatsApp