Porque não devemos tomar leite ?!

Porque não devemos tomar leite ?!

A humanidade foi culturalmente se habituando a consumir leite de vaca e seus derivados mesmo após o desmame, diferente de todos os outros animais não humanos existentes na natureza.

Um exemplo que demonstra que não fomos feitos para consumir leite é o grande número de pessoas intolerantes à lactose. Devido aos povos ocidentais praticarem mais a pecuária, ocorreu uma “adaptação” para tolerar a lactose. Quando comparamos aos povos e dos asiáticos e orientais onde a agricultura era mais presente, a prevalência de intolerância chega a 100%.

Ao contrário do que muitos pensam, as vacas que produzem o leite que se compra no mercado não são vacas que vivem felizes na fazenda. A indústria do leite é tão cruel quanto a indústria da carne. Para produzir o leite, as vacas precisam estar constantemente grávidas e para isso, são inseminadas artificialmente ano após ano de forma estressante até a exaustão. Logo que seu filhote nasce, são separados provocando um forte abalo psicológico.

Devido a excessiva quantidade e a ordenha artificial, as vacas frequentemente sofrem com a mastite (infecção que gera pus e sangue). Além de antibióticos e hormônios, no Brasil é permitido 1 milhão de células de pus e sangue por ml de leite.

Atualmente encontramos diversos estudos que associam o consumo de leite de vaca com câncer de mama, ovário, endométrio e próstata. Além disso, um composto chamado caseína (proteína) é associado a alguns problemas de saúde como alergias, sendo uma das principais alergias em crianças e bebês menores de 3 anos de idade.

Os produtos lácteos são ricos em gordura saturada, e a alta ingestão desses alimentos eleva o risco para doenças cardiovasculares. Embora existam produtos desnatados ou semidesnatados, é comum que essa gordura seja adicionada em outros alimentos como sorvetes, manteiga, pães e doces.

Outro nutriente conhecido por compor o leite de vaca é o cálcio, porém é uma grande desinformação acreditar que o leite é a única fonte. Diversos alimentos como a chia, gergelim, brócolis, leite de soja, avelã, linhaça, tofu, grão de bico, rúcula e couve podem fornecer ótimas quantidades de cálcio. De acordo com o Guia Alimentar para a População Brasileira, do Ministério da saúde, a exclusão do leite da alimentação não é prejudicial à saúde para quem segue uma dieta balanceada. Outro ponto importante é a biodisponibilidade (o quanto nosso corpo é capaz de absorver) do cálcio, que em muitos vegetais chega a ser maior do que no leite de vaca. Alimentos vegetais como couve, repolho, brócolis e couve-flor chegam a ter uma absorção de 50-60% cálcio, enquanto que no leite animal a absorção é de 40-50%.

Para a mineralização óssea e prevenção da osteoporose são necessários outros nutrientes além do cálcio, como a vitamina D por exemplo. Um estudo publicado no British Medical Journal em 2014 acompanhou 100 mil pessoas durante 20 anos e mostrou que o maior consumo de leite integral estava associado a um maior risco de fraturas e mortalidade. Outro importante estudo publicado no The New England Journal of Medicine revela que o consumo de laticínios não está relacionado a prevenção de fraturas.

Por fim, até hoje nenhum estudo foi capaz de comprovar que precisamos de leite para viver e ter saúde, pensando nisso, consuma leites vegetais, sem crueldade, sem caseína e sem lactose. Na natureza você encontra leite de amêndoas, arroz, soja, castanhas, amêndoas, quinoa, amendoim, entre tantos outros. Se sua vida for muito corrida e não tiver tempo de preparar seu leite vegetal, é possível encontrar boas opções no mercado e já enriquecidas com cálcio.

Natalia Peres
Meu CRN é 10 7729
Instagram – @nataliaperesnutri
https://www.instagram.com/nataliaperesnutri/

SIGA NOSSAS MÍDIAS SOCIAIS

CONHEÇA NOSSOS EMBAIXADORES E ATLETAS VEGANOS, FEFEU & PAULINHA

SE INSCREVA NO CANAL DO YOUTUBE.

CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK.

Poste um comentário

Chame no WhatsApp